fbpx

Tem uma indústria de pequeno porte?

Saiba que os efeitos da atual crise hídrica no Brasil podem afetar e muito a sua conta de luz, principalmente a partir de 2022. Pelo fato das indústrias micro e pequenas terem dificuldade de repassar seus preços, elas podem ser muito impactadas pela alta nos valores, previstas para o próximo ano.

De acordo com o estudo “Indicador de Atividade da Micro e Pequena Indústria”, realizado pelo Datafolha a pedido do Sindicato das Micro e Pequenas Indústrias do Estado de São Paulo (Simpi), os reflexos do pior período de seca em quase um século, que é o momento atual do mundo, ameaçam o crescimento econômico do país e, consequentemente, os negócios. É o que afirma 51% das micro e pequenas indústrias ouvidas pelo instituto.

Além disso, no que diz respeito ao fornecimento de energia para a empresa, 40% dos entrevistados acreditam que vão ter prejuízo e 27% entendem que a falta de chuvas vai afetar os negócios de forma geral.

Conforme o estudo, subiu de 68% para 74% o percentual de empresas que tiveram alta significativa na conta de luz em relação ao mês de agosto.

Ainda, quando perguntadas sobre o impacto do aumento do preço de energia nos negócios, as micro e pequenas indústrias que consideram “grande” o prejuízo saltou de 21% para 33% entre agosto e setembro. Para 33%, os custos mais salgados prejudicam “um pouco” e, para 34%, porém, não há perdas.

Por isso, dado esse cenário, o melhor caminho para quem tem indústria de micro e pequeno porte é a energia solar. Além de balizar o abastecimento de energia do seu negócio com uma tendência atual e sustentável, o empresário terá acesso a benefícios como redução de custos e baixa taxa de manutenção (somente uma vez ao ano).

Acesse o nosso site, faça uma simulação e veja, na prática, como a energia solar pode ajudar você e o seu negócio.

Fonte: Valor Investe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fill out this field
Campo obrigatório.
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu